Agosto é o mês de conscientização da Atrofia Muscular Espinhal (AME)

Imprimir

A AME é uma doença genética rara, degenerativa e progressiva, que pode acometer desde o período gestacional até a vida adulta. A AME causa no organismo a morte dos neurônios motores, originando o enfraquecimento dos músculos.

Esta doença rara tem várias origens. Pode ser por alteração no gene SMN1 (OMIM#600354), ou alteração no gene DYNC1H1 (OMIM#158600), ou alteração no gene AR (OMIM#313200), entre outras alterações gênicas. Por isso, a AME pode se manifestar em diferentes graus (0, I, II, III, e IV), apresentando desde sintomas mais graves a leves, de acordo com as descrições abaixo:

AME Grau Zero: é detectada no período gestacional pela baixa movimentação fetal. Estes recém-nascidos apresentam graves alterações cardíacas e respiratórias. Geralmente, é fatal no primeiro mês de vida.

AME Grau I: é a mais grave e a mais comum, diagnosticada até os 6 meses de vida. Estas crianças apresentam dificuldade para respirar, engolir, manter a cabeça ereta e sentar. Geralmente é fatal até os 2 anos de vida.

AME Grau II: é diagnosticada entre os 6 meses e 2 anos de idade, quando a criança costuma ter problemas respiratórios, dificuldade para engolir e não consegue andar. Durante o crescimento podem aparecer outros sintomas em decorrência do enfraquecimento muscular, tais como escoliose.

AME Grau III: é diagnosticada a partir dos 18 meses até a adolescência. Neste caso, a criança consegue andar, mas costuma perder essa habilidade com a progressão da doença.

AME Grau IV: é diagnosticada na vida adulta, após os 35 anos de idade. O paciente sente fraqueza nos membros inferiores e por isso pode apresentar dificuldade ao andar.

O diagnóstico da AME é feito através da análise de DNA por coleta de sangue. O Teste do Pezinho Ampliado realizado em recém-nascidos, preferencialmente até 48 horas após o nascimento, contempla o diagnóstico da AME, entretanto não é encontrado na rede pública de saúde,. Contudo, felizmente, em maio deste ano (2021) foi sancionado um Projeto de Lei que amplia o número de doenças do Teste do Pezinho Básico, oferecido pela rede pública do SUS, sendo a AME uma delas.

O tratamento da AME geralmente envolve uma equipe multidisciplinar com fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, médicos, entre outros profissionais.

Atualmente, existem fármacos que podem impedir a progressão dos sintomas clínicos. Entretanto, no Brasil, poucos são registrados na Anvisa. Estes fármacos apresentam custo elevado e geralmente não são disponíveis na rede pública de saúde.

 

Serviços relacionados a AME:

https://iname.org.br/

@iname_brasil

https://www.juntospelaame.com.br/pt_BR/home.html

@abrame_amebrasil

https://br.biogen.com/content/dam/corporate/pt_BR/refresh_images/Livro_Brasil_novembro2019.pdf

@ipe_instituto

 

Projeto de Lei 5.043/2020 (Teste do Pezinho):

 

Site do SUS

 

OMIM:

SMN1 OMIM#600354

https://www.omim.org/entry/600354

DYNC1H1 OMIM#600112

https://www.omim.org/entry/600112

AR OMIM#313700

https://www.omim.org/entry/313700